domingo, 28 de setembro de 2014

DUPLA PERSONALIDADE

Eu gosto de você e de você também
E nunca sei quem é quem nessa longa história.
Se as duas são só uma ou delírios de alguém
Que por descuido faz trapaças na memória.

Se me amam? Sim, sim, mas duvido que saibam,
Pensam que estou inteiro enquanto me reparto
Em três, em dez, em mil, nos tantos quantos caibam
Nas paredes do bar, nas garrafas do quarto.

Louco seguir assim, sabendo sem saber
Se sonhos são reais ou real é descrer,
Vivendo pela espada e morrendo na cruz.

Tomara, a noite entenda os caprichos da luz,
Conosco e mais vocês em madrugadas nuas,

E nos deixe matar nossas sedes nas suas.